04 agosto, 2015

O dia seguinte.


Eu estou com frio e envergonhada.
Eu estou bem acordada e posso ver
Que o céu perfeito está destruído
Você está um pouco atrasado

E eu já estou despedaçada


Imagem: Rimel Neffati

Faz mais de uma hora que acordei, mas não consigo levantar da cama, isso sempre acontece quando me sinto triste e decepcionada. Eu viro a cabeça para o lado e penso que sou uma idiota. Eu viro a cabeça para o outro lado e penso que sou uma babaca. Levanto da cama com ar de defunta, a minha boca amarga como se eu tivesse tomado algo bem ácido e o gosto ficou impregnado na minha língua, e por mais que eu escove os dentes dezenas de vezes o azedo não vai sair por um bom tempo. Eu sei muito bem que gosto é esse, é o gosto da infelicidade, porque a felicidade é pra quem pode e hoje eu não estou podendo nada. Sei lá, mas a vida insiste que eu seja infeliz "amorosamente falando". E só me resta ficar assim, amarga. Vou fazer o quê? Reinventar a minha dor? Criar uma personagem alegre, sorridente, piadista, feliz... não, hoje não.  Eu só quero ficar aqui com a minha tristeza, trancada dentro desse quarto escuro e sem ar.
Por que você tinha que me magoar? Por que você me obrigou a fingir estar viva pra todo mundo ao meu redor enquanto eu queria apenas chorar sozinha trancada no banheiro de casa. Mas eu não chorei. Obriguei-me a sorrir para todo mundo que me olhava com um ar de espanto misturado com pena. Obriguei-me a dançar enquanto eu queria apenas estar dormindo um sono profundo. Vontade de te esmurrar, e dizer que você foi um idiota. Dizer que você  fez eu me senti a pior coisa do mundo, um objeto facilmente descartável que você usou para não sentir dor ou qualquer espécie de saudade.
Uma simples conversa bastaria. Uma simples conversa teria me feito compreender. Mas você não disse nada. E aquilo foi terrível.
E agora é impossível eu não senti uma raiva absurda de você. É impossível que você e os outros caras não tenham matado a minha esperança sobre o príncipe que não é encantado  aparecer um dia. Como eu faço para agradecer? Uma salva de palmas serve? Ok! agora estou aplaudindo de pé o belo espetáculo. Foi friamente lindo. Parabéns!
Sabe, você não era só um cara, estava começando a ser um amigo que me ajudava diariamente a ser mais alegre. E só Deus sabe que no meio de um mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo verdadeiro.
Agora só me resta senti uma falta absurda de você e do nosso laço que estava se fortalecendo aos poucos. Só me resta esperar o tempo passar. Só me resta apagar da memória o seu sorriso branco e amigável. Os seus olhos que se tornam minúsculos quando você ri. A manhosidade do seu corpo. A voz firme e introspectiva ao falar sobre a vida. A voz mais chiante e tranquila ao fazer uma piada. O andado meio confiante, meio desorientado. Do abraço de quebrar mil costelas. E o cheiro do perfume forte, e o natural expelido pela sua pele. Todas essas lembranças irão passar e eu não poderei mais emprestar mistério ao vazio.
Graças a Deus que isso tudo aconteceu no início do nada. Graças a Deus eu ainda permanecia com um pé no chão. Graças a Deus que sou pessimista e não espero mais nada dos “relacionamentos” há muito tempo. Mesmo assim, isso não me impede de senti uma tristeza absurda. É triste saber que a partir de agora você será apenas mais um cara desconhecido que de vez em quando eu vou cruzar pela vida. Que você vai ser apenas mais um ser humano igual a tantos outros que não trazem nenhuma magia para a minha vida.


É triste saber que apesar de tudo eu espero que você seja feliz e vencedor. É muito triste saber que apesar de estar friamente ferida eu não consigo te odiar por completo. E sinceramente, eu espero que você nunca leia esse texto, minhas palavras se encontram muito cruéis e apesar de tudo eu não  quero machucar você com a minha escrita que precisava ser redigida para eu me libertar da dor da ilusão perdida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário