25 junho, 2015

Fuck You





Vá se foder muito, muito mesmo
Porque suas palavras não condizem
E está ficando muito tarde
Então, por favor, não mantenha contato



Ele chegou de mansinho, seu rosto estampava uma expressão de preocupação. Sentou acanhado, mal me olhou na face, logo hoje que eu estava usando o Russian Red...

Ele começou escolhendo as palavras, como se elas fossem um tipo de brisa forte e eu um vaso delicado de cristal que se quebraria ao recebê-las. Enquanto ele procurava amenizar o momento com delicadas frases prontas e ensaiadas eu pensava  qual roupa eu deveria usar para ir à entrevista amanhã “talvez qualquer peça na cor preta, a minha cor favorita”.  

“Então, você é importante para mim...”

“Talvez eu use aquela regata de linho com o blazer preto...”

“Eu realmente gosto muito de você, me importo com você...”

“Ou aquele camisão azul...”

“Eu nunca quis magoá-la...”

“Ou aquele... Opa! espera!... ele acabou de dizer que nunca quis me magoar? Imagine se

Quisesse, teria sido mil vezes pior do que foi?”

Ele prosseguiu com o discurso edulcorado, o qual eu já sabia decorado há anos.

“Dessa vez, com você, eu queria que desse certo, mas eu não acredito que isso vá se encaixar com o tempo...”

Meu silêncio prosseguiu. Não existia nada a ser dito, tudo já tinha sido exposto, falado, esbravejado, sentido, sofrido. Contudo, existia sim uma coisa a ser dita. Uma coisa que ficou calada por algum tempo, porque eu nunca soube como seria proferido nem como seria ouvida, compreende?  E se eu não dissesse agora talvez não dissesse nunca mais. Foi quando eu segurei a mão dele o mais delicado possível, encarei aqueles olhos que disparam mil corações e falei em voz alta, pela primeira na vida ,  a frase que nunca imaginei que diria para alguém, o meu mais sincero: FODA-SE!

Eu sempre fui uma pessoa boazinha, sempre passei a mão na cabeça de quem não merecia. Sempre dei segundas, terceiras, quartas chances para todos que me sacanearam. Agora, chega! É como disse a poeta: Vacilou? A porta está aberta, meu bem. Sem dó nem piedade.

Eu não vou tolerar mais na minha vida ninguém que me vampirize. Chega! Chega! Chega! Eu devo isso a mim!

Então, agora vai ser assim, vou deletar um monte de gente da minha vida, sem dó nem piedade. Disso tudo, a hipocrisia disfarçada é a causa do meu nojo. Nojo dos humaninhos que ora amam, ora usam. Odeio essa dualidade de intenções. Foda-se essa "Paixão" e Foda-se você!


Nenhum comentário:

Postar um comentário