05 março, 2014

The End


Vou começar a excluir um monte de gente da minha vida, e sem um pingo de remorso. Vou parar de passar a mão na cabeça de quem  diz ser meu amigo mas só me procura na hora do “Estou precisando de ajuda”. A verdade é que, quem gosta de viver ao lado de uma pessoa que conhece a anos e ela simplesmente te coloca de lado? Ninguém gosta de ser procurado somente na hora do aperreio. O que estou tentando dizer é que amizade deveria ser igual a namoro “uma coisa do tipo: querida, vamos terminar... Acho muito digno. E até saudável. Afinal, se quase nada é eterno, quem disse que amizades não podem chegar ao fim?
Vou começar a medir minha real importância na vida das pessoas, ou melhor, a delas na minha. Na verdade já faço isso, já deixei passar tantas coisas, momentos e atitudes que me magoaram profundamente. Chega! Não vou querer mais viver ao lado de gente que não me dar carinho, que faz menos por mim, enquanto eu faço mais por ela.
Como diz a Fernanda Mello “Eu sempre fui boazinha, admito. Mas... EU FUI. Agora, acreditem ou não, não sou mais. E não vou tolerar ninguém que me faça ter sentimentos que não sejam incríveis. É uma questão de respeito com a minha própria vida. E comigo mesma. Não quero. Não posso. Não vou. E, se insistir, eu vou botar pra quebrar, despejar cada palavra dura, doa a quem doer. Estão com medo? (Eu estaria). Cansei de cobranças, chantagens emocionais, meu coração antes mole ficou forte, imaginem só! 4 séries de 8 durante anos e anos.... (Me entendem?)”

Então pra você que acha que eu sou a mesma boba de sempre (que escuta, releva e põe panos quentes), um aviso: tome cuidado comigo. Porque agora que eu sei o que me é caro, não vou mais deixar barato. Chega de ser a primeira que diz Oi, que abraça. ! Não vou mais me doar em excesso, acabou querida, acabou! 


Um comentário: